Áudio: recém eleito, prefeito é gravado comprando votos e ainda convida mulheres para sexo

Carlinhos Pelegrini também é acusado de fazer transporte ilegal de eleitores

O prefeito de Tacuru, Carlinhos Pelegrini (PMDB), vencedor das eleições suplementares no último dia 4 de junho deste ano, foi flagrado em gravações de voz oferecendo empregos em troca de votos, pouco antes do pleito. Na conversa com duas cabos eleitorais, o político ainda as convida para ter relações sexuais, pedindo a elas que pegassem em seu pênis.

 

Tacuru vive um momento político conturbado, já que as eleições de outubro de 2016 foram anuladas, por conta que o então candidato eleito, Dr. Cláudio Rocha (PR) e seu vice, Adailton de Oliveira (PSDB) tiveram  seu registro indeferido pelo TSE (Tribunal Superior Eleitoral).

 

O áudio mostra que o então candidato à prefeitura conversa com duas mulheres, identificadas apenas como 'Josi' e 'Fran' e a todo momento destaca que ainda não possui dinheiro para pagar pelos votos que elas conseguirem, mas, se eleito, promete empregar uma delas.   

 

Uma das interlocutoras enumera para o candidato os eleitores pretensos a votar nele. ''Então ó, eu vou falar uma coisa, lá de casa ó, só de lá de casa ó, o pai, a mãe, a Dileusa, Edimara'', relatou. Além dos votos de eleitores da cidade e de aldeias indígenas próximas, a mulher promete angariar apoio de eleitores de cidades vizinhas, mas que têm título eleitoral em Tacuru.

 

O candidato diz para a mulher para que ela continue atuando na cidade em seu favor e garante que vai ajudá-la. ''Vou, vou arrumar serviço, to falando pra vocês... só que você vai me segurar todos os votos'', prometeu Carlinhos. No entanto, o peemedebista faz uma ressalva para que elas não prometam emprego para muita gente, pois talvez não tenha condições de nomear todos.

 

Uma cabo eleitoral de Carlinhos ainda o orienta a tentar comprar o apoio de algumas pessoas que ele havia rompido relações, para que estes o apoie em eleições futuras. ''Eu penso lá na frente. Você vai ter outras eleição (sic) , vai ter outro janeiro, digamos assim, você tem que trazer eles pro teu lado pela confiança'', aconselha.  

 

A partir de 11 minutos e 15 segundos da gravação, a conversa passa a ter uma conotação erótica, onde uma das mulheres sugere que quer introduzir um vibrador no ânus do candidato. ''Ela quer te comer, você aguenta?'', disse. Ele ri e aceita o convite, mas ao mesmo tempo pede para que as duas acariciem seu pênis. A gravação termina quando elas recusam e ele permanece insistindo.

 

Mais crimes

 

Além da gravação por suposta compra de votos, o prefeito eleito de Tacuru é acusado de  promover transporte ilegal de passageiros de outros municípios para votar nele em Tacuru, no último dia 4.

 

Um boletim de ocorrência registrado no dia da eleição, mostra que policiais e um juiz eleitoral flagraram uma van, dirigida por Tavares Nunes de Melo, trazendo eleitores de outras cidades para Tacuru.

 

Abordado pelas autoridades, Melo não soube responder o que fazia ali. Depois contou que foi contratado por uma mulher chamada Anatalia Garcia, para buscar eleitores no estado do Paraná para votar.

 

Anatália negou ter contratado Tavares, mas depois assumiu que o chamou para trazer parentes do estado vizinho. Porém, um dos passageiros do veículo contou que não era parente da mulher e que foi trazido para votar. Dois outros passageiros, que também não eram parentes da suspeita, estavam embriagados e tentaram agredir a equipe policial.

 

Repercussão

 

O advogado do candidato derrotado nas últimas eleições em Tacuru, Paulo Mello, teve acesso as gravações e disse que já entrou com um pedido de cassação da diplomação de Carlinhos Pelegrini, na 25ª Zona Eleitoral, que fica em Iguatemi.

 

Leandro Moura diz que ficou claro nas gravações que o candidato promoveu o crime de captação ilícita de sufrágio, o que comprometeu o resultado do pleito.  

 

O defensor disse ainda que, conforme a lei eleitoral, caso seu pedido seja aceito o problema aumenta. ''Tacuru vai viver mais um momento de instabilidade'', lamentou o advogado Leandro Moura.

 

Eleição

 

Carlinhos Pelegrini (PMDB) foi eleito com 2.672 votos válidos no dia 4 de junho. A diferença para o segundo colocado, Paulo Mello (PP) foi de apenas 105 votos. 

 

 

A última eleição foi marcada por muita tensão, já que a candidata à vice-prefeita na chapa de Mello teve o carro que dirigia atingido por um tiro. A partir do ocorrido, a cidade recebeu reforço da Polícia Federal e batalhões de fronteira.

(carro de candidata foi atingido por tiros antes da eleição)

 

 

 

 Fonte: Topmidianews

 

Compartilhe no Facebook
Compartilhe no Twitter
Please reload

MARACAJU: ex-prefeito CELSO VARGAS (inelegível) declara apoio a MARCOS CALDERAN

24.10.2020

1/18
Please reload

ANTÔNIO JOÃO: Juíza “indefere” registro de 12 candidatos do PSDB

23/10/2020

1/18
Please reload

mega_fone_cidadão..jpg

RW apresenta Noticiário ao vivo das 19h00 ás 20h00 a partir desta quarta feira

10.4.2019

1/5
Please reload