Operação do Gaeco atinge cidades de MS e gabinete de deputado estadual do Mato Grosso do Sul

08/08/2018

A operação é para combater o crime organizado e sonegação de impostos.

 

Deputado tucano Paulo Corrêa nega envolvimento na operação - Foto: Arquivo.

 

Uma operação do Gaeco (Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado) denominada "Grãos de Ouro" foi desencadeada na manhã desta quarta-feira (08) em várias cidades de vários estados da região centro oeste, dentre eles o estado de Mato Grosso do Sul, Minas Gerais, Goiás e Mato Grosso, além do estado de São Paulo, Paraná e Rio Grande do Sul.

 

No estado de MS foram cumpridos mandados  nas cidades de Campo Grande e Itaporã.

 

À primeira informação é de que um servidor público lotado no gabinete do deputado Paulo Corrêa (PSDB) foi levado por agentes até o gabinete na Assembléia Legislativa com mandado de busca e apreensão.

 

A assessoria da Casa confirmou que os agentes estiveram no local, no começo da manhã desta quarta-feira (8), mas, adiantou que por ora, provavelmente, as ordens de busca teriam sido apenas contra um funcionário da Assembleia que foi confirmado pelo advogado do deputado, o funcionário Marco Antônio Silva de Souza, conhecido como "Marcão" que é lotado no gabinete do parlamentar.

 

A promotora Cristiane Mourão é que está coordenando esta ação no estado e acompanhou o servidor dentro do gabinete, onde foi vasculhado o computador do mesmo e retirado informações, mas segundo informou um funcionário que não foi levado o computador.

 

De acordo com o Gaeco do MP-MT (Ministério Público de Mato Grosso), a operação mira combate à sonegação fiscal, praticada, segundo a imprensa mato-grossense, por meio de empresas de compra e venda de grãos.

 

Em Cuiabá, um dos alvos teria sido a empresa Efraim Agronegócios que negocia soja, cujo escritório é localizado no edifício comercial SB Tower, na Avenida do CPA. Além disso, um mandado de prisão estaria sendo cumprido em condomínio de luxo na capital de Mato Grosso.

 

Além de um mandado contra o servidor do deputado Paulo Corrêa, foram cumpridos ao todo 136 mandados de busca e apreensão, sendo 32 de prisão e 104 de busca e apreensão.

O órgão divulgou uma nota e disse que irá se pronunciar logo mai ás 15h na sede do Gaeco no parque dos poderes. 

Fonte: Agoranews

Jornalista: Izomar Galeano

 

Após a divulgação da notícia aos órgãos de imprensa, o GAECO/MPMS divulgou Nota Oficial de Esclarecimento:

 

Em razão das notícias veiculadas sobre operação "Grãos de Ouro" do Gaeco, a Assembleia Legislativa de Mato Grosso do Sul tem a esclarecer que não é alvo da investigação e, igualmente, nenhum parlamentar.

 

O fato ocorrido no prédio da Assembleia Legislativa, nesta manhã, decorre de mandado contra o servidor efetivo Marcos Antônio Silva de Souza, que não foi preso. A promotora de justiça Cristiane Mourão, acompanhada de Marcos Antônio, verificou - única e exclusivamente - a mesa do servidor, sem que nada tenha sido levado.

 

O funcionário está cedido ao gabinete do deputado Paulo Corrêa, que - reforçamos - não é alvo de nenhuma investigação. A Assembleia Legislativa apoia as apurações e aguarda o total esclarecimento dos fatos.

 

Vale lembrar que o deputado Paulo Corrêa é aquele que teve seu nome envolvido na gravação, onde foi flagrado ‘ensinando’ colega a fraudar ponto de nomeados.

 

Confira o vídeo abaixo:

 

 

Compartilhe no Facebook
Compartilhe no Twitter
Please reload

MARACAJU: GOLD CERTIFICADOR DIGITAL realiza Mega Promoção de Certificados e-cnpj A-1 - e-cpf A-3

28.6.2020

1/18
Please reload

Reinaldo Azambuja nomeia ex-secretário de MANDETTA com salário de R$ 15.888,47

02/07/2020

1/18
Please reload

mega_fone_cidadão..jpg

RW apresenta Noticiário ao vivo das 19h00 ás 20h00 a partir desta quarta feira

10.4.2019

1/5
Please reload