Zé Teixeira, preso no ano passado pela PF, deve ser reeleito como 1º secretário da Mesa Diretora da AL-MS

28/01/2019

Policial Federal conduz Zé Teixeira até viatura da PF, em setembro do ano passado.

O comando do legislativo é integrado por sete dos 24 deputados. Zé Teixeira, do DEM, deve ser mantido na primeira secretaria da AL-MS, principal cargo da Mesa Diretora, depois da presidência.

 

PRESO

Teixeira ficou preso por cinco dias, em setembro do ano passado. Para a PF, o democrata foi investigado no âmbito da “OPERAÇÃO VOSTOK”, deflagrada com o objetivo de combater um esquema de pagamento de propina para políticos de MS.

 

Zé Teixeira nega ter participado da eventual trama. Ele foi detido num hotel situado no centro de Campo Grande. De lá, foi levado para a superintendência da Polícia Federal.

 

Embora definida, deputados debatem chapa da presidência da Assembleia Legislativa de MS na quarta-feira (30/01).

 

 

No sétimo mandato, Paulo Corrêa (PSDB), flagrado ‘ensinando’ colega a fraudar ponto de nomeados do Legislativo, deve assumir o comando da Assembleia.

 

O deputado estadual Paulo Corrêa, tido até agora como candidato único à presidência da Assembleia Legislativa, disse na manhã deste domingo (27), que na quarta-feira (30), dois dias antes da escolha da Mesa Diretora da Casa, o chamado G-10 (grupo de dez parlamentares) define de vez a composição do comando do legislativo estadual para os próximos dois anos. 

 

O MDB e o PT devem conquistar espaços importantes na direção da Assembleia, disse Corrêa.

 

A eleição acontece na primeira sessão do ano, 1º de fevereiro, sexta-feira que vem.

 

VOTO ABERTO

 

E, pelo regimento interno da AL-MS “a eleição dos membros da Mesa Diretora será feita por votação nominal e aberta, considerando-se eleita a chapa ou o candidato individual ou avulso que obtiver a maioria absoluta dos votos, e que cumprirá mandato de 02 (dois) anos, permitida a reeleição”.

 

O atual presidente da AL-MS, o deputado estadual Júnior Mochi (MDB) chefia o legislativo desde 2015.

 

Ele ficou sem mandato por ter disputado e perdido mandato de governador.

 

Paulo Corrêa, o provável presidente – ele foi escolhido pelo PSDB, opção abonada pelo governador Reinaldo Azambuja, também tucano – disse na manhã deste sábado (27) que se tornará o primeiro-secretário da Casa o parlamentar que obtiver apoio maior dos parlamentares.

 

“Ele [Zé Teixeira] tem 15 apoios, número suficiente para a recondução ao cargo que ocupa”, disse Corrêa, que assume neste ano o sétimo mandato de deputado estadual.

 

Semana passada, Renan Contar, deputado eleito pelo PSL, disse estar interessado na disputa pela primeira-secretaria, mesmo sabendo que o G-10 já havia acertado com o nome de Zé Teixeira.

 

Para Corrêa, o número de apoios é a condição que garante o direito a ocupar a primeira secretaria. Ou seja, Contar, o melhor desempenho nas urnas em outubro passado, com 77 mil votos, teria de convencer os parlamentares a indicar seu nome, não o de Zé Teixeira.

 

Fonte: Topmidianews

Jornalista: Celso Bejarano

 

Compartilhe no Facebook
Compartilhe no Twitter
Please reload

MARACAJU: ex-prefeito CELSO VARGAS (inelegível) declara apoio a MARCOS CALDERAN

24.10.2020

1/18
Please reload

ANTÔNIO JOÃO: Juíza “indefere” registro de 12 candidatos do PSDB

23/10/2020

1/18
Please reload

mega_fone_cidadão..jpg

RW apresenta Noticiário ao vivo das 19h00 ás 20h00 a partir desta quarta feira

10.4.2019

1/5
Please reload