• O Cidadão Alerta

Denúncia derruba popularidade de REINALDO na Capital: 42% o avaliam como ruim ou péssimo

Ibope de REINALDO está em baixa: 26% de aprovação, contra 45% de BOLSONARO e 52% de MARQUINHOS.


A denúncia do Ministério Público Federal derrubou a popularidade do governador Reinaldo Azambuja (PSDB) em Campo Grande. Conforme pesquisa do Ibope, feita entre os dias 14 e 16 deste mês, 42% dos eleitores avaliam a gestão do tucano com ruim ou péssima, contra apenas 26% que a consideram ótima ou boa. Entre os homens, a reprovação chega a 50%.


Acusado de receber R$ 67,791 milhões em propinas da JBS, de liderar organização criminosa e de lavagem de dinheiro a um mês da eleição, REINALDO acabou se tornando o pior cabo eleitoral. Há candidato que até pede para substituir a foto em que aparece ao lado do tucano para não ser prejudicado na disputa.


De acordo com o Ibope, 17% classificam a administração de REINALDO como ruim, enquanto 25% a classificam como péssima. Apenas 5% o consideram como ótimo, enquanto 21% como bom. Regular foi apontado por 30%.


O presidente JAIR BOLSONARO (sem partido) é aprovado por 45% dos campo-grandenses, enquanto 34% o consideram ruim e péssimo e 20%, regular. Mais popular ainda, MARQUINHOS TRAD (PSD), que disputa a reeleição, é aprovado por 52%, enquanto 31% o avaliam como regular e 16%, como ruim e péssimo.


A rejeição maior de REINALDO está entre os eleitores do sexo masculino. Entre os homens, 50% o consideram ruim e péssimo, enquanto apenas 21% o avaliam como bom e ótimo. Entre as eleitoras, o tucano obtém aprovação de 31%, mas ainda assim o índice de desaprovação é maior, 34%.


Por nível de escolaridade, a rejeição do tucano é maior entre os eleitores com nível médio, onde 46% o classificam como ruim e péssimo, contra 21% de aprovação. Entre os campo-grandenses com nível superior, o tucano obteve 42% de ruim e péssimo.


A situação é melhor entre os menos instruídos. Há empate entre os eleitores com nível fundamental sobre a gestão tucana: 38% avaliam como ótima e boa e o mesmo percentual avaliam como ruim e péssima. Confira a imagem abaixo:


A situação do governador não é pior porque a maior parte dos jornais, sites e emissoras de televisão fizeram divulgação protocolar e quase escondida da denúncia do esquema criminoso de concessão de incentivos fiscais em troca de propina. Com exceção de O Jacaré e do Midiamax, quase nenhum meio deu detalhes das 351 páginas da denúncia protocolada no dia 14 deste mês pela subprocuradora-geral da República, LINDÔRA ARAÚJO.


Apesar do prejuízo de R$ 209 milhões aos cofres estaduais, a maior parte dos meios de comunicação optou em priorizar a resposta do governador, que classificou a denúncia como “coleção de equívocos”.


Por outro lado, nenhum político decidiu vir a público para sair em defesa de REINALDO. Nem os tucanos mais aplumados usaram as redes sociais ou os meios de comunicação para minimizar a denúncia do Ministério Público Federal.


Ao Midiamax, o vice-governador MURILO ZAUITH (DEM) afirmou estar preparado para assumir o cargo em caso de afastamento. Pela regra constitucional, o STJ pode afastá-lo do cargo por 180 dias ao aceitar a denúncia feita pela subprocuradora-geral da República. Neste caso, REINALDO ficaria fora da Governadoria e enfrentaria o julgamento sem a força da caneta e do cargo.


Ao contrário dos últimos anos, a Corte Especial do STJ não tem passado a mão em governadores acusados de corrupção. Em novembro de 2018, o órgão mandou prender o governador LUIZ FERNANDO PEZÃO (MDB), do Rio de Janeiro, acusado de receber R$ 30 milhões por meio de caixa dois. REINALDO AZAMBUJA é acusado de receber R$ 67,791 milhões.


Neste ano, o STJ afastou o governador WILSON WILTZEL (PSC) foi afastado do cargo no dia 28 de agosto deste ano por ter cobrado R$ 50 milhões em vantagens indevidas nas ações destinadas ao combate à pandemia da covid-19.


O relator da “Operação Vostok” no STJ é o ministro FELIX FISCHER. Ele deverá determinar prazo para as defesas se manifestarem antes de encaminhar o caso para análise da CORTE ESPECIAL.


Fonte:: Ojacaré

Jornalista: EDIVALDO BITENCOURT


mega_fone_cidadão..jpg