• O Cidadão Alerta

RODRIGO SILVA, filho de REINALDO foi um dos alvos da Polícia Federal na “Operação Motor de Lama”

Policiais federais cumpriram pela primeira vez mandado da Lama Asfáltica na casa do filho do governador de MS.

O advogado RODRIGO SOUZA E SILVA, filho do governador REINALDO AZAMBUJA (PSDB), foi um dos alvos da "Operação Motor de Lama”, denominação da 7ª fase da Operação Lama Asfáltica. Conforme a assessoria da Polícia Federal, ele é acusado de integrar o suposto esquema criminoso de corrupção e desvio de dinheiro no DETRAN/MS (Departamento Estadual de Trânsito).


Esta é a primeira vez que um integrante da gestão tucana é alvo da Operação Lama Asfáltica, que estava parada desde 28 de novembro de 2018.


Nesta terça-feira (24), 46 policiais federais, junto com servidores da CGU (Controladoria-Geral da União) e Receita Federal, cumprem 11 mandados de busca e apreensão, quatro de medidas cautelares e o sequestro de R$ 40 milhões.


O alvo é esquema de desvio na emissão de carteiras de motorista, vistoria veicular e compras feitas pelo DETRAN/MS. O grupo é investigado por evasão de divisas, com o envio do dinheiro desviado dos cofres públicos por meio de uma rede de doleiros.


O advogado GUSTAVO PASSARELLI acompanhou o cumprimento dos mandados de busca e apreensão no apartamento de RODRIGO, no Jardim dos Estados. “Ainda não tivemos acesso aos autos, por isso não podemos ainda nos manifestar”, afirmou o defensor.


Esta é a 3ª operação contra RODRIGO SOUZA E SILVA. O filho do tucano foi alvo da Operação Vostok, que apura o pagamento de R$ 67,7 milhões em propinas pela JBS ao seu pai, REINALDO AZAMBUJA, em troca de incentivos fiscais. Neste caso, ele acabou sendo denunciado junto com o governador ao STJ - Superior Tribunal de Justiça.


A outra operação foi para apurar o suposto roubo da propina de R$ 300 mil destinada ao corretor de gado JOSÉ RICARDO GUITTI GUÍMARO, o Polaco. Neste caso, RODRIGO virou réu por roubo em denúncia aceita pela 2ª Câmara Criminal do Tribunal de Justiça em setembro do ano passado.


Fonte: Ojacaré

Jornalista: EDIVALDO BITENCOURT


mega_fone_cidadão..jpg